segunda-feira, 30 de junho de 2008

VISITA: Percurso do Regicídio

A Liga dos Amigos do Jardim Botânico (LAJB) promove regularmente visitas guiadas a locais de interesse botânico, ecológico e histórico. A propósito do centenário do regicídio, propomos um percurso pela Baixa da cidade para reviver, numa espécie de "viagem no tempo", os acontecimentos do dia em que o Rei D. Carlos e o príncipe herdeiro, D. Luís Filipe, foram assassinados, a 1 de Fevereiro de 1908. A visita, guiada pela Drª Elisabete Rocha da Hemeroteca Municipal, será repartida pelos locais ligados ao regicídio, desde a espingardaria onde foram compradas as armas que mataram o Rei até ao café onde os conjurados conspiraram o regicídio.

Percurso do Regicídio
Dia: 12 de Julho de 2008 - 10H00
Ponto de encontro: Café Gelo (Rossio)
Duração da visita: 3 horas
Guia: Drª Elisabete Rocha (Hemeroteca Municipal)

Tel: 21 392 18 28
Tm: 96 038 24 17
ldbotanico@fc.ul.pt

FOTO: Cortejo fúnebre de D. Carlos e D. Luís Filipe, na Praça do Príncipe Real, no dia 8 de Fevereiro de 1908. Imagem de Joshua Benoliel (1873-1932). Fonte: Arquivo Fotográfico Municipal

2 comentários:

mesquita disse...

Venho por este meio solicitar informação sobre a poda de Platanus e sobre o respectivo impacto biologico na propria arvore , pois recentemente onde moro deparei me com algumas podas de platanos que mutilizaram de tal forma a arvore com cortes de mais de 30 com de diametro sem colocar cicatrizante ,ao que eu indignado perguntei ao responsavel pela gestão do Aldeamento onde moro, quem podou ou mandou podar a arvore de tal forma ao que me respondeu "eu sou o presidente faço o que quero".Se arvore morrer onde se enquadra esta situação a nivel da legislaçao.

mesquita disse...

Venho por este meio solicitar informação sobre a poda de Platanus e sobre o respectivo impacto biologico na propria arvore , pois recentemente onde moro deparei me com algumas podas de platanos que mutilizaram de tal forma a arvore com cortes de mais de 30 com de diametro sem colocar cicatrizante ,ao que eu indignado perguntei ao responsavel pela gestão do Aldeamento onde moro, quem podou ou mandou podar a arvore de tal forma ao que me respondeu "eu sou o presidente faço o que quero".Se arvore morrer onde se enquadra esta situação a nivel da legislaçao.