quarta-feira, 20 de julho de 2011

Jardim Botânico: Ciência Viva - Biologia no Verão 2011

Jardim Botânico da Universidade de Lisboa

Ciência Viva - Biologia no Verão 2011

Dia 26 de Julho - 10h00

Plantas da Bíblia

Com Ireneia Melo

Quantas plantas podemos identificar na Bíblia? Porque foram escolhidas, que factores ecológicos e culturais influenciaram a sua inclusão neste livro? Será que essas plantas ainda hoje são utilizadas, do mesmo modo, pela população local? Um percurso pelo Jar­dim Botânico vai permitir conhecer algumas das espécies mencionadas e descobrir que, afinal, muitas delas fazem parte do nosso quotidiano.

Dia 27 de Julho - 15h00

A Chave da Natureza

Com Ana Raquel Barata

Uma visita animada ao Jardim Botânico – MNHN que propõe a identificação de espécies da Flora portuguesa através de uma chave dicotómica, seguindo um percurso pré-definido num mapa – os participantes serão verdadeiros taxonomistas por 2 horas!

Dia 6 de Setembro - 10h00

A Biodiversidade na Cidade

Com Ireneia Melo

Imagine que tem calçadas umas ‘botas de 7 léguas’ e embarque numa viagem num percurso de 2 horas. Vamos conhecer as cicadófitas, plantas que representam floras antigas, na maioria já extintas, e que fazem parte da flora protegida de regiões sul americanas, asiáticas e africanas. A Ginkgo biloba, originária da distante Ásia, já existia quando os dinossauros dominavam a Terra e agora embeleza muitas ruas de Lisboa. Da mesma área é o Ophiopogon japonicus que ajuda a cobrir os canteiros do Jardim, a Mahonia japonica e a Hydrangea macrophylla. Num salto chegamos à Austrália e desco­brimos uma grande figueira tropical, Ficus macrophylla, e a Araucaria bidwillii, com ‘pinhões’ comestíveis do tamanho de amêndoas! As espécies de Strelitzia e de Agapan­thus estão entre os representantes africanos e, da América do norte, podemos ver, entre outras, a Catalpa bignonioides. Descemos para a América do Sul e encontramos a Acca sellowiana, cujos frutos estão agora na moda. Não podemos deixar passar a região macaronésica e admirar os grandes exemplares de dragoeiro, Dracaena draco. É tempo de voltar a casa, à região mediterrânea, e marcar encontro com o medronheiro, Arbutus unedo, o azevinho, Ilex aquifolium, e o acanto, Acanthus mollis, fonte de inspiração para escultores desde a antiguidade.

As inscrições para estas actividades têm número limitado e fazem-se, exclusivamente, através da página da Ciência Viva em: http://www.cienciaviva.pt/veraocv/2011/

FOTO: Ginkgo biloba no Arboreto do Jardim Botânico

1 comentário:

Contato IAulas disse...

Parabéns pelo trabalho! visito seu site diariamente... Aproveitando, gostaria de indicar o site www.iAulas.com.br lá você vai encontrar mais de 10 mil apostilas para download gratuito dos mais variados assuntos... espero ter ajudado...